• pt-br
  • en
  • es

28
ago-2014

O desfile das caretas de papelão

134188229813418822989742553060_420x300

À tarde a coisa muda de figura: não mais compradas ou alugadas, mas confeccionadas artesanalmente pelas mãos talentosas de Dodô, as caretas desfilam pela cidade. Entrar na sede é como penetrar um mistério, violar um segredo. As caretas de Acupe (BA) tem sua própria voz, suas vestimentas que transformam pessoas em criaturas incríveis e muitas vezes aterrorizantes para as crianças. Por cima da saia – de palha de bananeira como os caçadores do Nego Fugido – o pano colorido modela o corpo que será de um outro ser, criatura preta, vermelha e branca, em que cada cor representa uma parte do ser humano: vermelho do sangue, branco dos dentes e preto da cor da pele africana.

134188246013418824604233956018_420x300

Ainda na sede, o som de “rrrrr” como um pássaro peculiar começa a espalhar-se pelo espaço, chamando à vida as criaturas.

O bloco sai pela cidade, acompanhado pelo samba das caretas, que se movem fazendo graça. Algumas delas, conservando a tradição de sua origem, distanciam-se do bloco e perambulam sozinhas, perseguindo um, correndo atrás de outro, como as caretas de borracha ainda fazem questão de relembrar.

Veja mais sobre o desfile das caretas de papelão aqui.

Texto e fotos: Renata Meirelles

11

 likes
Share this post:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Archives

> <
Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec
Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec
Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec
Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec