• pt-br
  • en
  • es

Assim que terminou o jogo de “china” (bolinha de gude) perguntei para os meninos porque será que os adultos, hoje em dia, insistem em dizer que criança não sabe mais brincar e que jogos como este não existe mais. “É porque esses adultos não vêm aqui ver” me respondeu um dos garotos.

É verdade, tive que concordar com ele. É importante ir ver mais de perto o que fazem as crianças, antes de dizer de nossas crenças sobre o fim das brincadeiras. Estamos acreditando em coisas sem ter se dado a chance de olhar de fato.

Em Araçuaí só não vê menino brincando quem não quer. Aliás, isso não é privilégio só de Araçuaí não. Em todo o Brasil, onde haja criança, seja em áreas rurais, litoral, ou grandes centros urbanos, é possível ver brincadeiras das mais diversas formas.

13651255301365125530432605687_420x300

13651255471365125547944653269_420x300

No bairro do Arraial, em Araçuaí, as brincadeiras se escondem do sol, nas sombras das mangueiras e tamarindos. Jogos de china, de pular corda, sinuquinha, amarelinha, pata cega, pular carniça, casinhas … e tantas outras que nunca saberemos, afinal, brincadeira não se presta para ser mostrada, apresentada, mas sim brincada, vivida e só saberá quem se sentar ao chão para brincar junto.

“O Emerson é profissional, vive com as “chinas” no bolso. Ontem mesmo ele levou “china” até na igreja”, nos segredou Ricardo. O Emerson é desses meninos de Araçuaí que carrega o brincar consigo seja lá onde for. Da mesma maneira como joga as bolinhas, ele também se dedica ao grupo de Folia de Reis do bairro de Arraial e a construir brinquedos com madeira encontrada nas casas dos vizinhos. Segundo Ermerson, “toda criança conseguiria fazer seus próprios brinquedos, mas se não tentar nunca vão saber”, diz ele.

136512557913651255792598615470_420x300

136512559113651255917393545769_420x300

136512559513651255958414644220_420x300

136512596513651259657506654213_420x300

E essa história de que andam dizendo por aí, que criança não brinca mais? Pergunto. Mais uma vez obtenho a mesma resposta: “Os adultos não estão tendo tempo de parar para ver, aí eles saem espalhando coisas que não vêem.”

Fica a dica dos meninos de Araçuaí: vamos parar com tempo para olhar as brincadeiras das crianças.

Texto e fotos: Renata Meirelles

 likes
Share this post:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Archives

> <
Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec
Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec
Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec
Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec