• pt-br
  • en
  • es

19
mar-2014

_3115573988

Aqui no Maranhão recebemos a visita de nossa amiga e pesquisadora de Bumba meu Boi, a Prof. Dra. Soraia Chung Saura, que nos presenteou com lindos relatos desse encontro.

Creio que não nos recuperamos por inteiro do São João e do São Pedro, quando nos decidimos a ir ver as comemorações de São Marçal, em 30 de junho, no reduto do Santo, o João Paulo. Falamos de festas seculares, que acontecem na cidade há quase 100 anos, não aguentamos perder a oportunidade de estar. Quem seria São Marçal? E porque no João Paulo, essa avenida comprida a perder de vista? Conta-nos um boieiro que é um santo renegado pela igreja, cujo altar fora removido daquele local. Ainda assim, não se removeu a fé no santo de origem duvidosa e seus milagres foram consagrados por anos a fio, por isso seguem brincando os bois de sotaque da Ilha, no mesmo local, todo ano.

Agora os brincantes percorrem a avenida e o dia, do amanhecer ao final da tarde, faça chuva ou faça sol. E no caso em questão, que sol! De arrefecer qualquer animo festeiro. Mas o cenário é quase fictício: uma multidão paramentada, em meio a uma balbúrdia de feira. Ambulantes, toda sorte de carrinhos e serviços, carros de som, instrumentos, balões e boizinhos em infinitas girândolas. Artesões ao chão constroem matracas para os desavisados de última hora. Caldo de ovos, de camarão, sururu, camarão seco, ovos de codorna, tudo para tonificar e revigorar qualquer intensão mais dissolvida. Tratava-se de uma multidão.

137636393513763639358049890697_420x300

_1413065579

Agarramos firme a mão das crianças. Era tanta gente que hesitamos. Mas seduzidos pelos personagens que avistávamos ao longe, continuamos. Um dos mais impressionantes é o Caboclo de Pena, figura emblemática na brincadeira. Imponentes e impressionantes, dançam movimentando-se violentamente e circularmente. Giram em torno do próprio eixo de sua existência. É grande e espaçoso por conta do diâmetro circular de seu chapéu imenso e horizontal, com mais de 1 metro de diâmetro, feito só de penas, estas voltadas para baixo. Carrega aproximadamente 10 quilos de pena, 08 apenas na cabeça. As penas de avestruz, vindas de longe e costuradas uma a uma, formam esta trama que transveste o ser humano de uma roupagem invencível, transformando sua condição comum e vulneravelmente humana em uma condição encantada. “Caboclo de Pena não se vê os olhos”. Todo o seu movimento remete à ancestralidade inerente a todos, é a inesquecível imagem de um ser selvagem. Olhando o Caboclo, o que fazemos é recordar. Postar-se ao lado de um deles é estar sob irresistível vendaval. A dança do Caboclo venta, venta, levanta fitas, joga lufadas no rosto dos brincantes. Nunca havia visto tantos de uma vez só! E sob sol escaldante, desfilam outros personagens a atravessar a avenida jovialmente como se o tempo estivesse fresco: as índias, também em penas imponentes, as burrinhas montadas muitas vezes por crianças, os vaqueiros, os instrumentistas todos e os próprios bois.

137636394913763639498635906610_420x300

As imagens se formam e se desfazem em nossa frente, no jogo dos brincantes que não desfilam, jogam uns com os outros. Poderosos personagens, poderosas narrativas, imagens. Nós não jogamos, estamos muito contentes em participar assistindo. É a última festa, essa encerra este ciclo junino. Saímos delas muito diferentes do que quando entramos: com o mesmo sentido de renovação e dever cumprido descrito pelos boieiros, mais fortes do que nunca para as agruras do ano. A despedida, circular, já anuncia a nossa volta. Porque, como disse uma senhorinha brincante para a Renata: “Isso é a nossa vida!” E assim, até para o ano que vem.

Texto: Soraia Chung Saura

Fotos: David Reeks e Renata Meirelles

 likes
Share this post:
  • Marçal Ramos ( Facebook) disse:

    Tenho acompanhado a festa via publicações, muito linda Gostaria de saber como faço para conseguir uma IMAGEM FÍSICA, a minha escolha de São Marçal.

  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Archives

    > <
    Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec
    Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec
    Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec
    Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec
    Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec