• pt-br

25
maio-2015

2ª edição da Ciranda de Filmes promove encontros e trocas

A matéria pode ser lida no site do Alana ou a seguir:

11248156_1770166579876309_6138950625988305661_n-940x460

O evento reuniu filmes, vivências lúdicas, rodas de conversa e oficinas

Um público inspirado e interessado em trocar impressões e experiências percorreu entre os dias 21 e 24 de maio as salas, corredores e o entrono do Cine Livraria Cultura e do Cine Sesc, em São Paulo. As milhares de pessoas que passaram pela segunda edição da Ciranda de Filmes, a primeira mostra de cinema do Brasil com foco em infância e educação, puderam vivenciar esses espaços propícios para inspirar, trocar e refletir sobre a infância.

A mostra é uma idealização da pedagoga Ana Claudia Arruda Leite; da produtora de conteúdo da AIUÊ Produtora, Fernanda Heinz Figueiredo e da diretora do Grupo Espaço de Cinema, Patrícia Durães. Com o patrocínio do Instituto Península e do Instituto Alana e apoio do Instituto Natura, Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal, Prefeitura de São Paulo, Auditório Ibirapuera Oscar Niemeyer e Itaú Cultural, a Ciranda atraiu educadores, artistas, gestores, produtores, cineastas, cinéfilos, pais e demais interessados em debater a infância e a educação.

Além de exibir gratuitamente produções cinematográficas nacionais e estrangeiras, o evento promoveu rodas de conversa, vivências lúdicas e oficinas cinematográficas, em um espaço de troca de conhecimento e aprendizado coletivo que parte da linguagem do cinema. A programação desse ano teve como fio condutor três temas: famílias, relação criança e natureza e protagonismo infantil.

A abertura da mostra, no dia 20 de maio, no Auditório do Ibirapuera Oscar Niemeyer, contou com um personagem mais do que especial: a pré-estreia do documentário brasileiro Território do Brincar, de Renata Meirelles e David Reeks. O filme entra em cartaz em São Paulo e no Rio de Janeiro no dia 28 de maio e a partir do dia 4 de junho estará nos cinemas de Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Florianópolis, João Pessoa, Porto Alegre, Salvador e Santos.

Na Ciranda foram exibidos 50 filmes – nacionais, estrangeiros, inéditos, antigos e contemporâneos – com curadoria de Fernanda Heinz Figueiredo e Patrícia Durães. Fizeram parte da programação inesquecível a produção argentina Ciências Naturais, do diretor Matias Lucchesi, o impactante Indomável Sonhadora, de Benh Zeith, o sensível drama turco Sonho de Wadjda e documentários inéditos no Brasil, como Project Wild Thing, de David Bond, e School´s Out, de Lisa Molomot

Neste ano, a mostra fez homenagem a alguns mestres brasileiros fundamentais para o enriquecimento cultural do país que faleceram em 2014, como o educador Rubem Alves, representado pelo documentário Rubem Alves: o professor de espantos, o poeta mineiro Manuel de Barros, com o Só dez por cento é mentira e o escritor Ariano Suassuna, com O Sertão mundo de Suassuna.

Outra novidade de 2015 foi a parceria com o Festival du Film d’Éducation, da França, que realizou sua 10ª edição no final de 2014 em Evreux, Normandie. Em paralelo à mostra brasileira, foram exibidos os filmes Wrony (Crows), de Dorotea Kedzierzawska, Onde Fica Meu Pudor (Où Je Mets Ma Pudeur?), de Sébastien Bailly, e Dias Antes (Les Jours D’Avant), de Karim Moussaoui, ambos premiados no Festival em 2014.

Na Ciranda três bate-papos com pensadores e especialistas aprofundaram o debate e a reflexão acerca dos temas deste ano. No dia 21 o público participou da roda “Famílias”, Ada Pellegrini Lemos, Susan Andrews e Rosely Sayão; no dia 22, foi discutida a “Relação Criança e Natureza”, com Gandhy Piorski, Rita Mendonça e Ricardo Ghelman; e no dia 23 de maio o debate girou em torno do “Protagonismo infantil”, com Alemberg Quindins, Severino Antonio e Lucilene Silva.

Também ocorreram duas oficinas com o intuito de fortalecer a mostra como um espaço de formação, exercício e reflexão: “Oficina de Crítica Cinematográfica”, com o professor e crítico de cinema Sérgio Rizzo; e “Oficina Desvendando o Processo Cinematográfico”, com os diretores do filme ‘Território do Brincar’, Renata Meirelles e David Reeks, a roteirista Anna Clara Peltier e a montadora Marília Moraes.

Com o objetivo de promover momentos para interagir e brincar, o evento também contou com três oficinas lúdicas, “Vivência corporal”, com o dançarino e coreógrafo Ivaldo Bertazzo; “Vivência da natureza através de jogos”, com Guilherme Blauth; e “Vivência musical”, com o Grupo Babado de Chita que encerrou a Segunda Edição do Ciranda de Filmes colocando a plateia para dançar.

Roda-de-Conversa-Criança-e-Natureza roda_familia Vivencia-Ivaldo-Bertazzo Idealizadoras abertura

 likes
Share this post:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Archives

> <
Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec
Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec
Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec
Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec
Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec