• pt-br

16
maio-2017

Território do Brincar Indica – O que fazer – e assistir – na Ciranda de Filmes

Texto: Beatriz Antunes

De 25 e 28 de maio, a Ciranda de Filmes está voltada para o tema O que Te Nutre? Indicamos alguns filmes imperdíveis e atividades gratuitas que estão na programação!

Filmes

Banquetes imaginários [Anne Georget] – Um documentário que trata de um aspecto muito pouco conhecido dos campos de concentração e trabalho da Segunda Guerra Mundial: a escrita de receitas. Por que os prisioneiros se preocuparam a escrever receitas que não podiam mais executar? Seriam esses registros gritos de esperança ou, pelo contrário, a tentativa de degustar uma última vez o que lhes sobrara da experiência gastronômica – a lembrança?

Foli — Não há movimento sem ritmo [Thomas Roebers] – A proposta deste documentário é mostrar como a palavra malinke “foli” traduz mais do que simplesmente “batida”, e se torna numa expressão que significa uma maneira de estar no mundo que é mediada pelo movimento incessante. Um filme que literalmente repercute em todos os nossos sentidos.

Marias [Joana Mariani] – Vale a pena refletir sobre as festas populares dedicadas à figura de Maria. O documentário mostra que não se trata de um mito cultuado da mesma forma por todas as culturas, nem mesmo a mesma religião. Com personagens cubanos, mexicanos, peruanos e de várias outras nacionalidades, temos um panorama de culturas e festejos que faz refletir sobre o nosso imaginário.

Martírio [David Carelli] – Considerado um marco da cinematografia acerca da questão indígena brasileira, este documentário aborda dois momentos da crise entre os guarani kaiowá e o Estado brasileiro: o primeiro, na década de 1980, quando ainda havia relativa paz e o encontro entre o diretor e os índios se deu em rituais religiosos, e nos anos 2010, em que o conflito pela posse de terra degringolou para um verdadeiro genocídio dos povos originários. Filme importante e definitivo.

Poesia sem fim [Alejandro Jodorowsky] – O aclamado diretor chileno filmou sua juventude, mas diferentemente do que se poderia esperar de uma obra escorada na memória de um artista de 87 anos, o filme é recheado de cor e passa longe da melancolia. Aclamado no Festival de Cannes de 2016, terá pré-estreia brasileira na Ciranda. Imperdível!

 

Rodas de conversa

Humanidades (Dia 25 de maio, quinta-feira, das 17h30 às 20h) | Reinaldo Nascimento, Sonia Hirsch e André Gravatá conversam sobre temas fundamentais como direitos humanos, atenção à infância e segurança alimentar. Importante pensar em tudo aquilo que nos aproxima ou afasta de outros seres humanos que como nós compartilham espaços e decisões sobre nossas vidas.

Subjetividades (Dia 27/5, sábado, das 17h30 às 20h) | Christian Dunker, Fátima Caldas, Kika Melhem, Mariana David e Ataliba Benaim conversam como é possível acessar o conhecimento daquilo que nos é essencial para que, munidos desses alimentos simbólicos ou materiais, possamos transformar nossa realidade de maneira autônoma e efetiva. Uma conversa que promete tocar muito fundo todos nós que buscamos ser mais autorais em nosso dia a dia.

 

Vivência

Mindfulness (antes de algumas sessões de cinema, no próprio local de exibição) | Estar mais presente é o que todos buscamos quando pensamos nas mil tarefas cotidianas a que nos submetemos diariamente, mas nem sempre sabemos como fazer isso. O mindfullness é uma técnica semelhante à meditação, mas com origem laica, que pode ser aprendida para trabalhar nossa atenção e entrega às atividades mais cotidianas, como se alimentar. Imagine como é assistir a uma sessão de cinema logo depois de experimentar esse estar presente no próprio corpo! Grande ideia da Ciranda de Filmes.

 likes
Share this post:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Archives

> <
Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec
Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec
Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec