• pt-br

23
out-2017

Diálogos do Brincar #13: O brincar no território urbano

Texto e fotos: Fernanda Peixoto Miranda e Raphael Preto  | Vídeo: Interrogação Filmes

No dia 5 de outubro, aconteceu o 13º encontro da série Diálogos do Brincar, com o tema “O brincar no território urbano”. A conversa, realizada no auditório do Alana, em São Paulo, contou com a presença da arquiteta e urbanista Beatriz Goulart, diretora do centro de pesquisas e projetos Cenários Pedagógicos e diretora do Projeto ÂncoraNo encontro, mediado por Renata Meirelles, coordenadora do programa Território do Brincar, Beatriz comentou sobre a urgência de considerar a infância nas decisões e no planejamento das cidades. “Há vários caminhos a seguir. É importante entender o que a criança quer, mas é igualmente fundamental entender como ela já ocupa ou não os espaços.

Desconstruir obviedades é considerado por ela um ponto de partida para que o espaço comum possa, de fato, ser acolhedor à criança. Por isso, para a arquiteta, é preciso romper a chamada lógica funcionalista da arquitetura e de outras áreas que interferem na cidade. “Temos um modelo que é muito relacionado com medidas, números, materiais. O processo de escuta da criança ainda está muito instrumentalizado”.

A brincadeira, portanto, é fundamental para que as relações na e com a cidade sejam ressignificadas e transformadas em conexões mais humanizadas. “O jeito que você se vincula mais rápido ao território é brincando nele. Será que a gente não pode ir além e pensar no espaço urbano como algo que nos possibilite transcender?”, questionou.

Ela reconhece, entretanto, que a relação entre território, brincadeira e espaço  melhorou desde sua primeira incursão  na área, quando ainda estava na faculdade. “O controle social sobre essas questões aumentou, e a quantidade de publicações na área também. Tem muitas ONGs e movimentos sociais nessa batalha”, concluiu.

Para saber mais dessa importante conversa, assista:

 likes
Share this post:
  • Jairo Lima disse:

    Boa noite

  • magali disse:

    Muito bom o diálogo. Sou professora de educação física e atuo na educação infantil de vitória es e este ano nosso projeto institucional é a valorização da infância e por meio da literatura, jogos, brincadeiras e música. trabalharemos com nossas crianças. E lembrei do território, pois, penso em trabalhar as brincadeiras antigas, ou seja, brincadeiras de quintal. Eu tive uma infãncia no interior de minas gerais e era no quintal portanto, quero proporcionar essa vivência ÁS CRIANÇAS. eSTOU COM BOAS EXPECTATIVAS.

  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Archives

    > <
    Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec
    Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec
    Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec